Cachorro quente de forno – Pratos rápidos, fáceis e fica uma delícia

Compartilhe isso:

Cachorro quente de forno – Pratos rápidos, fáceis e fica uma delícia!

Ingredientes-Massa: para o cachorro quente:
-2 xícaras de chá de farinha de trigo
-1 colher de sopa de fermento em pó
-2 xícaras de chá de leite
-3/4 xícara de chá de óleo (usei de milho)
-5 ovos (os meus eram jumbo, usei 4 unidades)
-3 colheres de sopa de queijo ralado.

Recheio para o cachorro quente:
-1 lata de milho-verde
-1 lata ou sachê de molho de tomate (ou molho caseiro)
-Orégano a gosto
-200 gramas de queijo prato em fatias
-2 colheres de sopa de queijo ralado
-Queijo ralado (para polvilhar), a gosto
-500 gramas de salsicha aferventada cortada em rodelas.

Modo de preparo-Massa:
No liquidificador bata o leite, o óleo e os ovos, bata, depois acrescente a farinha de trigo e o queijo ralado, bata por mais 3 minutos, por último acrescente o fermento, batendo rapidamente.

Despeje metade da massa em uma assadeira untada e enfarinhada.

Arrume as salsichas por cima da massa, o queijo prato, o milho verde, o molho de tomate e espalhe bem.

Polvilhe o queijo ralado, despeje o restante da massa, salpique queijo ralado.

Leve ao forno pré aquecido a 150 graus por 15 minutos, depois passe o forno para 180 graus por mais 20 minutos ou até dourar..

Retire do forno e acrescente o orégano.

Você também pode gostar: – Chamuças Indianas – Biscoito de queijo

Curta nossa página e nosso grupo no facebook: Receitas DeliciosasReceitas com Amor

Dicas para uma Alimentação Saudável

PARA CRIANÇAS MENORES DE 2 ANOS:

1 – Dar somente leite materno até os 6 meses, sem oferecer água, chás ou qualquer outro alimento.
2 – Ao completar 6 meses, introduzir de forma lenta e gradual outros alimentos, mantendo o leite materno até os dois anos de idade ou mais.
3 – Ao completar 6 meses, dar alimentos complementares (cereais, tubérculos, carnes, leguminosas, frutas e legumes) três vezes ao dia, se a criança estiver em aleitamento materno.
4 – A alimentação complementar deve ser oferecida de acordo com os horários de refeição da família, em intervalos regulares e de forma a respeitar o apetite da criança.
5 – A alimentação complementar deve ser espessa desde o início e oferecida de colher; iniciar com a consistência pastosa (papas/purês) e, gradativamente, aumentar a consistência até chegar à alimentação da família.
6 – Oferecer à criança diferentes alimentos ao dia. Uma alimentação variada é uma alimentação colorida.
7 – Estimular o consumo diário de frutas, verduras e legumes nas refeições.
8 – Evitar açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos e outras guloseimas, nos primeiros anos de vida. Usar sal com moderação.
9 – Cuidar da higiene no preparo e manuseio dos alimentos; garantir o seu armazenamento e conservação adequados.
10 – Estimular a criança doente e convalescente a se alimentar, oferecendo sua alimentação habitual e seus alimentos preferidos, respeitando a sua aceitação.

print

Compartilhe isso:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *